Semana 5: A expansão da Igreja – Respondendo ao chamado de Jesus

TEXTO: AT 15:1-12

Alguns homens desceram da Judéia para Antioquia e passaram a ensinar aos irmãos: “Se vocês não forem circuncidados conforme o costume ensinado por Moisés, não poderão ser salvos”.

Isso levou Paulo e Barnabé a uma grande contenda e discussão com eles. Assim, Paulo e Barnabé foram designados, juntamente com outros, para irem a Jerusalém tratar dessa questão com os apóstolos e com os presbíteros.

A igreja os enviou e, ao passarem pela Fenícia e por Samaria, contaram como os gentios tinham se convertido; essas notícias alegravam muito a todos os irmãos.

Chegando a Jerusalém, foram bem recebidos pela igreja, pelos apóstolos e pelos presbíteros, a quem relataram tudo o que Deus tinha feito por meio deles.

Então se levantaram alguns do partido religioso dos fariseus que haviam crido e disseram: “É necessário circuncidá-los e exigir deles que obedeçam à lei de Moisés”.

Os apóstolos e os presbíteros se reuniram para considerar essa questão.

Depois de muita discussão, Pedro levantou-se e dirigiu-se a eles: “Irmãos, vocês sabem que há muito tempo Deus me escolheu dentre vocês para que os gentios ouvissem de meus lábios a mensagem do evangelho e cressem.

Deus, que conhece os corações, demonstrou que os aceitou, dando-lhes o Espírito Santo, como antes nos tinha concedido.

Ele não fez distinção alguma entre nós e eles, visto que purificou os seus corações pela fé.

Então, por que agora vocês estão querendo tentar a Deus, impondo sobre os discípulos um jugo que nem nós nem nossos antepassados conseguimos suportar?

De modo nenhum! Cremos que somos salvos pela graça de nosso Senhor Jesus, assim como eles também”.

Toda a assembleia ficou em silêncio, enquanto ouvia Barnabé e Paulo falando de todos os sinais e maravilhas que, por meio deles, Deus fizera entre os gentios.

ENCONTRO:

Você já participou de alguma assembleia na igreja? Diga-nos como foi essa experiência.

EXALTAÇÃO:

Salvo pela Graça – Daniel Souza

Asaph Borba – Superabundante Graça

EDIFICAÇÃO:

Ao longo da história da igreja vários concílios foram organizados. Alguns para ratificarem doutrinas bíblicas, outros para combaterem heresias e outros tantos para sistematizar a eclesiologia do corpo de Cristo. Diferentemente desses, o primeiro concílio da igreja, realizado na cidade de Jerusalém, teve sua ata devidamente registrada e protocolada nas sagradas escrituras e, por isso, seu caráter, importância e autoridade tornaram-se singulares e irrevogáveis.

Esse concílio fora convocado em face das dificuldades de comunhão entre judeus e gentios. A tensão que naturalmente já existia fora agravada pelo fato de “alguns homens que desceram da Judéia para Antioquia passaram a ensinar aos irmãos que se não fossem circuncidados, conforme o costume ensinado por Moisés, não poderiam ser salvos” (At 15:1) – ou seja, para esses “judaizantes”, a graça de Jesus não era suficiente para salvar o pecador. Também se fazia necessária a guarda da lei.

Em função da grande discussão que se levantara, Pedro tomou a voz e falando sobre si e da mensagem a qual Jesus o confiou reafirmou que a salvação do judeu e do gentio é apenas pela “graça do Senhor Jesus Cristo”. De maneira mais sistêmica, Paulo ratificou a doutrina da Graça Salvadora em Ef 2:8-9, onde se lê: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie”.

REFLEXÃO:

Quais os riscos que a igreja primitiva correria se admitisse também a necessidade da observância da lei para a salvação?

Por que as experiências de Pedro, Paulo e Barnabé foram importantes para a defesa da doutrina da Graça Salvadora?

Pedro considerou como “tentação a Deus” a guarda da lei como requisito para a salvação. O que ele quis afirmar com esta admoestação?

Devemos praticar boas obras, não para sermos salvos, mas porque somos salvos! Quê boas obras Jesus pode esperar de você?

RECURSOS EXTRAS
Sugestão de leitura semanal:
  • Segunda-feira: João 1:35-51 — I Crônicas 9 — Ageu 1-2
  • Terça-feira: João 2 — I Crônicas 10-11 — Zacarias 1
  • Quarta-feira: João 3:1-21 — I Crônicas 12 — Zacarias 2
  • Quinta-feira: João 3:22-36 — I Crônicas 13-14 — Zacarias 3
  • Sexta-feria: João 4:1-26 — I Crônicas 15:1-16:7 — Zacarias 4
  • Sábado: João 4:27-42 — I Crônicas 16:8-43 — Zacarias 5
  • Domingo: João 4:43-54 — I Crônicas 17 — Zacarias 6
AVISOS: NOSSAS CELEBRAÇÕES

Presencial:

Culto Celebração da Manhã Presencial – No Templo da Quarta Igreja, domingos, às 10h30min, com inscrição prévia pelo Whatsapp: 97010-0453 (lotação limitada a 40%)

Online:

Culto Celebração da Manhã online – transmissão ao vivo: aos domingos, às 10h30min. Acesse: https://www.youtube.com/c/qibrjorgbr

Culto Celebração da Noite online – transmissão ao vivo: aos domingos, às 18h30min. Acesse: https://www.youtube.com/c/qibrjorgbr

Culto oração da Manhã online – transmissão ao vivo: de segunda a sexta-feira, às 06h30min. Acesse: https://www.facebook.com/pastor.lucio

Culto de oração estudo online – transmissão ao vivo: toda sexta-feira, às 19h30min. Acesse: https://www.youtube.com/c/qibrjorgbr

LINK PARA COMPARTILHAMENTO:

Que bom ter você com a gente!

Lembre-se de alguém que você gostaria de ter com a gente, copie o link abaixo e compartilhe com essa pessoa especial!

Copie o link e compartilhe! https://www.qibrj.org.br/igreja5